A imagem criativa de Gabriel Novis

Novo talento da mídia, alagoano Gabriel Novis fala com exclusividade sobre o seu trabalho para o lançamento do blog Almasurf.

por Alceu Toledo Junior, 03/07/2017
follow

Longe de ser mais um entre tantos brasileiros que se aventuram no exterior, Gabriel Novis não é apenas mais um na ralação por melhores dias.

Cinegrafista, editor e diretor de muito talento, Novis há tempos deixou de ser uma novidade, é uma realidade da fotografia e filmagem de ação, publicidade e criatividade nos roteiros que vão de filmes de surf até histórias de zumbis, bem como um cara de curtas delirantes como Broken Dreams, de Sebastien Zanella, edtior da Desillusion Magazine.

Nada mais justo, então, recair sobre este morador de Los Angeles a escolha de seu nome para estrear o novo blog da Almasurf, um espaço para o conteúdo próprio de nossa revista eletrônica. 

Por email, Novis fala sobre sua trajetória, seus sonhos e objetivos de oferecer imagens criativas e cativantes: "Nunca liguei para o dinheiro, quero ter apenas o necessário para poder executar os meus projetos e poder transformar minhas ideias em realidade", diz com exclusividade.

Você é de onde exatamente?
Maceió, Alagoas, vulgo "paraíso".

Como você foi parar nos EUA?
Vim para fazer um curso rápido de cinema e logo depois fui para a Europa. Porém, senti muita falta da Califórnia e tomei a decisão de voltar, me inscrevi na UCLA (Univiersidade da Califórnia) e fiz um outro curso mais longo, focado em direção de fotografia.

O seu trabalho é bem variado, de publicidade à editorial de moda, passando por ação. O que mais você aprecia produzir?
Depende muito do meu mood no dia e do projeto. Tenho tido bastante influência do mundo da moda e tenho trabalhado com várias marcas do segmento, mas o surf sempre foi minha paixão. Viajar o mundo e explorar o desconhecido e aprender diferentes culturas me fascina. Mas tenho focado muito em narrativas, contar historias, filmes, séries de TV e documentários.

Como surgem os trampos com caras como o Sebastien Zanella?
Acho que o poder do universo explica o sucesso de todos os seres humanos. Se você acredita realmente em algo, você ira fazer tal coisa. Sempre tive uma lista de objetivos e acreditando nela eu tenho a oportunidade de realizá-los um a um. Foi assim com o Sebastien e com outras pessoas, marcas etc.

A melhor saída para um video maker brasileiro é o aeroporto internacional?
A melhor saída para um video maker brasileiro é olhar dentro de si e entender o que te inspira. Quais suas influencias, seu estilo e o que mais gosta de fazer. Tentar definir algo que te faça diferente dos demais e sempre estudar, buscar inspiração na internet e referências. Depois disso tudo, compre uma passagem para algum lugar e vai lá fazer o teu projeto. Quanto mais longe de sua zona de conforto você for, melhor será o resultado do seu filme.

Você pega onda ou pratica algum esporte de ação?
Sempre surfei, desde que me conheço por gente. Também curto bastante andar de skate.

E como analisa o mercado de moda? O segmento surfwear está em recuperação ou ainda está em crise?
O mercado da moda pode ser bem fechado, uma panelinha. E nem sempre é fácil conseguir trabalho. Funciona muito se você tiver um nome conhecido. Vejo gente se dando muito bem com um trabalho horrível apenas porque tem um nome ja estabelecido no mercado e vejo também muita gente boa sem trabalho. Mas o surfwear nem se fala, os caras não investem em nada. Poucas marcas tem uma visão mais evoluída e valorizam o trabalho do profissional criativo. A surfwear também não tem estilo. Geralmente as marcas são cópias de outras marcas que já são uma porcaria. Então, não existe criatividade, apenas uma repetição do que já foi feito.

Quem são os caras que te influenciam ou que te inspiram no seu trabalho de fotografia e de captação de imagem?
Sempre tentei assistir muito filme, além de filmes de surfe. Sempre curti muito os filmes da Volcom. Feitos pelo Ozzie Wright, Ryan Thomas e as belíssimas peças feitas pelo Taylor Steele, obviamente.

Mas curto bastante o trabalho do Sebastien, Pablo Aguiar, Stanley Kubrick, Emannuel Lubezki e os diretores Nicolas Winding e Gaspar Noé.

Como avalia o mercado editorial depois do fechamento da gigante Surfing Mag?
Acho que as revistas estão migrando para a internet. Amo ver um trabalho impresso e acho que algo que você possa tocar tem um valor muito maior do que uma foto online que vai ser esquecida em poucos segundos. Acho legal as revistas que estão migrando e fazendo livros que são publicados uma ou duas vezes por ano.

Entre tantos trabalhos de qualidade, quais o que você destaca e os que te dão maior prazer?
Dos que eu ja executei? Não sei se eles são de tanta qualidade (risos)... Curto muito o Sorria (com Yago Dora), pelo fato de ter sido uma jornada. Demorei quase dois anos para ter o filme pronto e a sensação de ter finalizado foi bem bacana.

Esse trabalho recente com o Sebastien (Broken Dreams) também foi bem importante para mim, pois ele sempre me inspirou desde o começo da minha carreira e poder falar sobre ele foi uma honra. Gravei recentemente um piloto para uma série de TV sobre zumbis. Também foi interessante poder dirigir grandes atores em um set bem complexo. Agora, estou focando no meu filme, vamos gravar no Brasil e a história vai ser inspirada em relatos de pescadores.

Como é lidar com as modelos mais ousadas?
Elas existem! Mas quando estou trabalhando busco sempre ser o mais profissional possível e deixar isso bem claro para as modelos também. Especialmente quando você está trabalhando com alguém com pouca ou nenhuma roupa. Mas já tive projetos em que a gente viaja com a galera, e aí, depois do trabalho rolavam aquelas festinhas... Estou bem tranquilo agora, namorando e bem feliz. Já passou a fase e percebi agora que esse mundo da moda pode ser bem superficial e idiota. Tô focando em fazer arte, surfar o máximo possível e investir tempo de qualidade com minha garota, família e amigos.

Além do dinheiro e da visibilidade, o que mais te atrai a trabalhar e a viver no exterior?
Nunca liguei para o dinheiro, quero ter apenas o necessário para poder executar os meus projetos e poder transformar minhas ideias em realidade. O que mais gosto de morar aqui é o fato de ser bem seguro e ter muita gente criativa em todos os lugares. Você se sente inspirado constantemente e suas ideias são mais bem abraçadas pelas pessoas e pelas empresas. Gosto de poder criar sem limites e estando aqui inúmeras portas são constantemente abertas.

Clique aqui para acessar o site Gabriel Novis 

Facebook

Instagram

Vimeo