Aulas gratuitas inspiram e transformam em Ilhabela

Último final de semana de aulas gratuitas de windsurf atraem dezenas de alunos em Ilhabela (SP).

por Redação ABIEP, 07/08/2017
follow

A segunda etapa do OI: Glass is Life Windsurf Experience III chegou ao fim em julho, uma vez mais patrocinada pela Owens Illinois, empresa líder no mercado de vidros, absolutamente comprometida com o meio ambiente, principalmente com as praias e o mar.

No total, foram 900 aulas, com cerca de 700 alunos inscritos na segunda etapa das aulas.

Confira no player abaixo, os depoimentos dos alunos inspirados e transformados nesta última semana para o mundo dos boardsports em vídeo com imagens de Marília Kim e edição de Raul Thame.

O evento aconteceu na Praia do Engenho D’Água, Ilhabela (SP), de 21/06 a 15/07, numa iniciativa que faz parte da plataforma Para Todos, promovida pela Almasurf, ação inspiradora e transformadora no paradisíaco litoral Norte de São Paulo,

Além de clínicas com profissionais que envolvem aulas práticas, técnicas de velejo, uso correto dos equipamentos e outros detalhes desta modalidade, esta nova versão do OI: Glass is Life Windsurf Experience é mais uma celebração do esporte e da cultura de praia, com o objetivo de incluir e de formar novos praticantes.

Na primeira etapa deste ano, encerrada em maio, o OI: Glass is Life Windsurf Experience II contou com mais de 400 inscritos ao longo de quase um mês de atividade.

Nas palavras emocionadas da aluna Flavia Dal Edove, muito inspirada e transformada pelas aulas de windsurf, o evento "é vida!".

E é justamente transformar e inspirar pessoas que nunca haviam sentido a brisa no rosto ou a prancha deslizar na água sob os pés o que mais nos motiva a seguir adiante promovendo eventos pioneiros como este.

Nesta edição, todo aluno que completou três aulas recebeu um certificado de participação no evento.

OI: Glass is Life Apresenta Windsurf Experience III ao sabor do vento

Durante o evento aconteceu ação de conscientização ambiental, aproveitando cada aula para transmitir um alerta sobre a necessidade de todos serem guardiões atuantes na preservação.

No ano passado, o paraíso de Ilhabela, no estado de São Paulo, recebeu aulas gratuitas de Windsurf, com presença do campeão mundial Marcílio Browne, o Brawzinho.

Com duas etapas no primeiro semestre de 2016, o OI: Glass is Life Windsurf Experience III é mais uma iniciativa da Almasurf para promover inclusão pelo esporte e transformar a experiência única de estar no mar numa prática saudável e permanente, totalmente integrada ao dia a dia de atividades esportivas.

OI: Glass is Life Windsurf Experience III é uma realização da Associação de Karate Kyokushin Oyama Morumbi, com apoio da Revista Rolling Stone e da Prefeitura Municipal de Ilhabela.

História do Windsurf A modalidade encontra seu vulcão criativo na costa norte de Maui, no Hawaii, região de altos ventos em frente ao Beach Park de Hookipa, com um grupo de precursores capitaneados pelo espetacular Robbie Naish .

A modalidade também enfrenta altos e baixos no final dos turbulentos anos 1980 e 1990, mas é um esporte organizado e bem estruturado na Europa e principalmente no Hawaii.

O esporte é organizado pela Confederação Brasileira de Vela e Motor, mas existem também a Associação Brasileira de Windsurf, que atua de forma mais específica na regulamentação e na promoção da modalidade no país.

No Brasil, destacam-se algumas localidades para a prática do windsurf, tais como: Vitória e Guarapari, no Espírito Santo; Búzios e Araruama, no Rio de Janeiro; Praia de Búzios e São Miguel do Gostoso, no Rio Grande do Norte; Rio Grande, Tapes e Osório, no Rio Grande do Sul; Ilhabela, em São Paulo; Ibiraquera, Balneário Camboriú e Florianópolis, em Santa Catarina; Fortaleza e Jericoacoara, no Ceará; Três Marias, em Minas Gerais e a Lagoa dos Ingleses, em Nova Lima.

E a maior atração é o looping, o movimento mais arriscado, que consiste em usar as ondas como trampolim para se lançar e, em seguida, dar uma cambalhota de 360 graus sobre si mesmo e voltar à água na mesma posição anterior.

Alguns atletas conseguem fazer o double-loop: duas voltas no ar antes de voltar à água. Algumas competições desta categoria são indoor. O windsurf indoor é realizado em tanques rodeados por potentes ventiladores em ginásios de grande porte.

Os velejadores brasileiros Kauli Seadi, Ricardo Campello e Browzinho já foram campeões na categoria jump, sendo alguns dos grandes nomes da modalidade em nosso país.

Raio X do esporte O equipamento de windsurf é formado por vários itens:

Mastro: monta e dá forma à vela;

Retranca: é a interface entre a vela e o praticante, permite que este direcione e segure a vela;

Vela: permite capturar a força do vento e fazer com que a prancha se desloque;
A vela pode ter vários tamanhos, desde medidas pequenas, como, por exemplo, (3.0m²), médias (7.0m²) e grandes (12.5m²), bem como formatos de acordo com a modalidade (ondas, regatas, etc);

Pé de mastro: peça móvel que liga o mastro à prancha e permite que este se mova em todas as direções;

Quilha: encontra-se fixa na parte inferior da popa da prancha e permite que a prancha se desloque na direção que desejada. Sem quilha a prancha fica sem controle e não é possível deslocar-se de forma perpendicular ao vento;

Patilhão: nas pranchas de aprendizagem é comum existir um patilhão a meio da prancha à semelhança dos barcos de vela, que aumenta a estabilidade e facilita a aprendizagem, nomeadamente do velejo em bolina (contra o vento).

Prancha: é ela que faz a interface entre o praticante de windsurf e a água. Existem diferentes tamanhos e tipos de pranchas, sendo classificadas de acordo com o seu volume (em litros), largura e tipo de modalidade (ex: ondas, regatas etc);

Alça ou Footstrep: encontram-se fixos à popa da prancha para o praticante colocar os pés quando a prancha está velejando em alta velocidade;

Trapézios: encontram-se fixos à retranca de forma a permitir a utilização do arnês;

Arnês: equipamento vestido pelo praticante e que permite utilizar o peso corporal, transmitindo-o à retranca através do trapézio. Desta forma, não é necessário fazer tanta força com os braços;

Extensor: deixa a vela esticada quando o mastro não tem o comprimento necessário para a vela.

OI: Glass is Life Apresenta Windsurf Experience III

Praia do Engenho D’Água - Rua Pedro de Paula Morais, 1152
Ilhabela, São Paulo

almasurfalmasurfalmasurfalmasurf