06/07/2016

13 FOTOS DE MULHERES ANDANDO DE SKATE

Pra inspirar a mulherada

por Seasiders Crew, 06/07/2016

Hannah Bailey, fundadora da agência criativa Neon Stash se define em seu Instagram como uma “promotora do esporte de ação do sexo feminino”.


Fica mais fácil entender essa definição com seu novo projeto The Free Life Magazine e sua primeira série de fotos. As fotografias de skate feminino nos mostra as mulheres que praticam o esporte sem perder a feminilidade, como o skate se adapta ao corpo da mulher e como ele nos proporciona de se mover no espaço urbano livremente. Inspirador e libertador.

SHARE:
24/05/2016

GUIA COMPLETO DE EL SALVADOR

As melhores dicas para a surf trip do paraíso das direitas na América Central

por Bruna Villegas, 24/05/2016

 A Trip na Califa terminou e nós voamos direto para El Salvador, um paraíso de ondas e um parque de diversões para os amantes das direitas!

  • El Salvador é um país da América Central. Lá faz calor o ano todo e a água é sempre quente.
  • O melhor período para o surf é entre abril e outubro, quando as ondulações de Sul atingem o país.
  • Quando nós chegamos, o pessoal do Hotel Eco Del Mar, que nos recebeu maravilhosamente bem, nos disse que estava flat com 1 metro e meio de onda hahaha. (Isso porque, El Salvador geralmente tem altas ondas, acima de 2 metros).
  • A moeda é o dólar americano.

ONDE SE HOSPEDAR

Eu costumo dizer que o lugar que repouso em uma viagem é extremamente importante, ainda mais quando é uma viagem cheia de aventuras e atividades, onde é necessário que seu corpo repouse bem.

Pois bem, pensando nisso, escolhemos o Hotel Eco Del Mar, localizado em Sunzal (melhor região para se hospedar, onde tem tudo).

Alguns amigos haviam indicado esse hotel, então fui pesquisar e me agradou bastante o que vi e as opiniões de quem já havia passado por lá!

Quando chegamos, fiquei ainda mais feliz pela escolha, o local é demais, acolhedor, SUPER confortável, com ótimo atendimento, café da manhã DELICIOSO (as opções de comida em El Salvador não são muito favoráveis, então todo café da manhã era uma festa), tem cozinha (fomos ao mercado e fizemos comprinhas pra nos alimentarmos bem e não perder energia), ar condicionado (imprescindível), as camas são HIPER confortáveis, tem um varanda MARA (eu amo varandas, então fiquei encantada), ducha, piscina, paz, silêncio, calmaria, localização privilegiada (é na rua da praia, basta andar 1 minuto e você vê o marzão… e por ai vai…

Conversei muito com um dos donos, e o que mais me encantou é que eles estão sempre reformando o hotel, ou seja, por isso ele parece tão novo (sendo que já existe há mais de 10 anos)

Veja as acomodações AQUI!

QUE PRANCHAS LEVAR

Antes de ir, eu falei com o Tão da Glasser Surfboards, que faz todas as minhas pranchas, e ele achou melhor eu levar duas, a minha 6’2 e uma 5’11 , o ideal é você conversar com um profissional, como o Tão já foi pra lá ele sabia direitinho o que me sugerir. Mas em geral, a galera surfa com umas pranchas maiores para as bombas do swell.

ONDE COMER

A comida mais tradicional de El Salvador são as PUPUSAS, que é uma tortilla de milho feita a mão e tem diversos recheios, pra mim que sou vegetariana, tinha opção de frijolles (feijão) mas a mais tradicional é com recheio de carne de porco, custam em torno de 1 a 2 dólares (a comida é beeeem barata)

Na rua principal de Sunzal tem um restaurante seguido do outro, todos são legais, baratos e gostosos (nada surreal), então basta escolher o que você vai mais com a cara e já aproveitar pra dar o rolê, porque lá não tem nada pra fazer que não seja o surf).

A boa é pedir para o seu guia te levar no mercado e fazer as comprinhas básicas (frutas, água, snacks, sucos, etc etc…)

GUIA OU CARRO

Não precisa alugar carro em El Salvador, se precisar de transfer do aeroporto, entra em contato com o hotel e quando quiser ir para os outros picos chama um taxi, ou um bus, ou organiza com a galera do hotel.

Nós contratamos um guia e pagamos o valor de 30 dólares por dia para o guia com direito a: 2 quedas (manhã e final de tarde + fotos)

A opção de guias é gigantesca, nós fechamos com um antes de chegar que nos buscou no aeroporto, (como tínhamos poucos dias, não dava pra perder tempo pesquisando lá) mas a boa é chegar, se familiarizar primeiro, pedir dicas e fazer a melhor escolha, até porque, em cada praia tem vários fotógrafos tirando fotos que depois vão até você te oferecer as imagens. A empolgação é tanta que você acaba comprando tudo rs.

O QUE FAZER

Surf… sério! Até tem umas festinhas a noite e tal, mas são todas vazias, o reggaeton rola solto mas, tirando os locais, não vimos ninguém muuuito animado.

O SURF E AS PRAIAS DE EL SALVADOR

As praias são divididas pela região de la Liberdad (Sunzal, KM59, 61, Punta Roca, El Zonte, Mizata) e a Região Leste (Las Flores e Punta Mango)

SUNZAL

Como estávamos hospedadas no Hotel Eco Del Mar que fica na melhor região, que é Sunzal, tínhamos fácil acesso a praia de El Tunco, La Bocana e La Bocanita!

Sunzal é uma onda Point Break mais constante e longa de El Salvador, ou seja, a arrebentação também, porém, como quase em todas as praias de lá, existe um canal para entrar, mas prepare-se que a remadeira é longa.

Informa-se com os locais ou o pessoal do hotel o pico que você deve entrar, tem os lugares certos.

EL ZONTE

Point break de direitas que tem uma força, pode ficar cavado na maré baixa: 

KM 59 E 61

Point break de direitas com uma certa força também (aliás, todas tem força):

PUNTA ROCA

É considerada a melhor onda da região de La Liberdad em El Salvador, Point break de direita tubular, nos dias bons, essa onda imenda na onda de La Paz e se torna super extensa, foi onde eu mais me machuquei pra entrar e sair, pois as pedras tem conchinhas cortantes e ouriços, além disso, quando a maré começa a secar, você enxerga as pedras bem no pico:

LA PAZ

Muita gente entra por La Paz que é mais fácil, beach break e vai remando para Punta Rocas, a onda vizinha.

MIZATA

Lá tem três ondas diferentes, no canto esquerdo, uma point break de esquerda tubular, no meio da praia a onda abre para os dois lados e o canto direito, que é uma ótima direita beach break.

Foi a onda que eu mais gostei por me sentir segura por causa da areia, apesar de ser BEM FORTE e rápida.

LAS FLORES E PUNTA MANGOS

O ideal é se hospedar e passar uns dias na região, pois para fazer o bate e volta (como nós fizemos) o trajeto dura em torno de 3 horas pra ir e mais 3 horas pra voltar, é bem cansativo.

Nessa região, tem ainda menos opções de lazer, mas sei que o Hotel Miramar é uma ótima opção de hospedagem e conforto.

A onda de Las Flores, apesar de cavada e longa, não é uma onda difícil.

Punta Mango é um Point break de direitas power e cavadas. Bem parecido com Punta Roca, porém quase sem crowd. O acesso mais comum é feito de barco saindo de Las Flores.

Bruna Villegas, 30 anos, Publicitária, CEO e Fundadora do Vestindo a Alma, Editora Chefe da Almasurf, Escritora, Sonhadora, Aprendiz de Surfista, Vegetariana, Apaixonada pelo Mar…

12/05/2016

SAN DIEGO E UMA PRAIA DE NUDISMO COM ALTAS ONDAS

Conheça algumas das melhores ondas da Califa

por Bruna Villegas, 12/05/2016

Chegou o dia de visitar um dos lugares que mais queria conhecer na Califórnia: SAN DIEGO

Saímos de Huntington Beach traçando Blacks Beach como primeira parada, o que dá em torno de 1h30 de carro!

Não existe muita sinalização pra chegar lá, então se informe antes de ir e coloque no GPS.

BLACKS BEACH – UMA DAS PRAIAS MAIS LINDAS QUE JÁ VI!

Sem brincadeira, como disse no post do Instagram essa praia entrou para as minhas TOP 5… Que lugar é esse?

Blacks Beach, localizada na região de La Jolla em San Diego e fica no Oceano Pacífico, tem esse nome porque algumas camadas da areia na praia são pretas. Vale lembrar que na parte Norte, é uma praia de NUDISMO.

Estacionamos o carro pelo acesso principal (existem outros dois acessos, um que dá pra ir de carro e é esfalfado e o outro que é pela praia e atravessa com a maré baixa), pegamos apenas o fundamental (pois a descida é longa), que para a gente era: prancha de surf, long john, toalha, protetor, água, câmera fotográfica e comidinhas (não tem nenhum comércio na praia, portanto, vá munido ou vai se arrepender).

Logo de cara, já me deparei com esse visual, o caminho todo para chegar na praia é assim: ÚNICO!

As ondas são muito boas também, uma das melhores do Sul da Califórnia, surfamos com golfinhos que passaram muito perto da gente!

Não fique muito perto das paredes rochosas na areia, várias pedrinhas caem dali, caíram algumas perto de onde estávamos!

Saindo de Blacks depois de fazermos duas quedas, partimos para o centro de La Jolla, onde tem várias comércios, bares e restaurantes, fomos almoçar em um lugar em frente a praia e depois fomos ver o pôr do sol em Sunset Cliffs

SUNSET CLIFFS

É um parque natural protegido por lei de San Diego localizado ao final da Ocean Beach.

Tem alguns penhascos incríveis e é comum a galera ir pra lá no final de tarde pra ver sol se pondo no Oceano Pacífico.

Pra chegar é bem fácil, digite Sunset Cliffs Natural Park no GPS:

É uma boa praia para o surf também.

Descemos essas escadas, onde é a entrada de muitos surfistas também, mas tem que conhecer muito bem o pico.

Veja todas as matérias AQUI!

10/05/2016

TRESTLES: O SONHO DE QUALQUER SURFISTA

Uma prancha e um skate é tudo que alguém precisa pra curtir Trestles, na Califórnia

por Bruna Villegas, 10/05/2016

 A famosa ladeira que a galera desce de skate e uma prancha debaixo do braço, fica ainda mais encantadora pessoalmente, é aquele tipo de imagem que você sonha em ter! Bom, eu não levei meus skates, então não foi dessa vez rs.

Trestles fica localizada em San Clemente, uma pequena cidade da Califórnia que fica entre San Diego e Orange County.

COMO CHEGAR

Trestles não é muito fácil de chegar porque não existe sinalização e a entrada da praia não é visível.

Como eu estava com a minha amiga Flavinha que já tinha ido, foi fácil.

Depois eu fui sozinha, então coloquei no GPS Cristianitos Road que me deixou em frente a rua que a galera estaciona o carro, mas o melhor mesmo é se informar por lá quando chegar!

A descida é longa, o que significa que a volta será pior…

Por isso, leve o essencial!

A galera desce a ladeira de skate e alguns de bike.

Em Trestles não tem nenhum comércio: LEVE SEU LANCHE, ÁGUA, etc…

Chegando na praia, você vai encontrar a linha do trem, o que pra mim, foi uma das coisas mais incríveis desse lugar, é uma beleza realmente diferente onde o silêncio e a paz imperam. Ah! E as fotos ficam lindas!

Você está no mar surfando ou na areia tomando sol e de repente ouve o barulho do trem… SURREAL!

Fora que os golfinhos deram o ar da graça bem perto de mim enquanto eu esperava a série.

O SURF

Lá tem cinco picos diferentes (imagem 1)

Church, Cottons, Upper Trestles, Lower Trestles (que onde geralmente rolam os campeonatos) e Middles.

Trestles recebe todas as direções de swell, é uma das ondas mais constantes da Califa, além de ser super manobrável por abrir bem é uma onda fácil de dropar também.

O crowd é grande e a galera costuma reclamar bastante disso, mas eu não vi nada muito absurdo, deve ser por estar acostumada com o Canto do Moreira (rs), consegui surfar tranquilamente.

Nós demos um super azar no primeiro dia, o mar estava horrível, coisa que é difícil acontecer lá, mas depois eu voltei e entendi o que era aquele pico mágico!

A água na Califórnia é super gelada, o ideal é um long john 3.2 no mínimo.

Em breve os vídeos estarão aqui e no canal do Youtube

Veja todas as matérias AQUI!

10/05/2016

O FOTÓGRAFO AVENTUREIRO QUE VOCÊ VAI SE VICIAR

Raskal é um daqueles caras que viajam o mundo e tem a vida que todos queriam ter...

por Seasiders Crew, 10/05/2016

Qual a novidade nisso? Além de nômade, o cara tira fotos de tirar o folêgo que inspiram o dia a dia de qualquer pessoa. Na sua infância, ele viveu entre Portugal e Suécia, andando de skate, sufando e praticando snowboard.

Para transformar sua paixão em trabalho não foi nada fácil quanto parece. Segundo o fotográfo, ele se considera mais valente ou estúpido que a maioria das pessoas, e por isso assumiu muitos riscos para chegar nesse lifestyle em que aprecia a felicidade, a natureza, amigos e infinitas viagens.

Além das fotos, o que também é tocante em Raskal é a maneira de pensar, para o Portal Do Shit Magazine ele afirma: “Trabalhei muito duro durante anos com as minhas paixões e eu de alguma forma tenho sido recompensado por isso. Mas só depois de horas e horas de trabalho, eu posso definitivamente olhar para trás e ver principais escolhas e sacrifícios que têm ajudado a fazer a minha vida ser o que é hoje. O que eu aprendi, principalmente, é que nada que você faz para viver deve nunca ser chato ou muito demorado. Nosso tempo é muito curto e a vida é preciosa. Dizendo isso, eu estou plenamente consciente de que nem todo mundo tem a possibilidade de fazer o mesmo que eu. Mas eu acho que, na medida máxima possível em seu ambiente cotidiano isso poderia aplicar-se a todos.”

Com sua camêra, capta sorrisos, pranchas de surf, sua namorada, o pôr do sol em diversos picos, florestas tropicais. Inspire-se você também com as imagens desse aventureiro.

22/04/2016

POR QUE É TÃO DIFÍCIL ABANDONAR O SEDENTARISMO?

Tecnologia. Centros urbanos. Grande oferta de informação. É a vida moderna. Uma busca rápida pela sentença no Wikipédia trará esta definição: “… se caracteriza pelo modo de vida urbano, baseado na busca pela praticidade, pelo conforto e pela comodidade…”.

por Espaço Sattwa, 22/04/2016

Cada vez mais o trabalho nos consome e nos momentos de lazer buscamos distrações e prazeres. Até o momento em que percebemos que o nosso corpo já não funciona do mesmo jeito, um lance de escada já é suficiente para cansar, as gordurinhas vão acumulando e os primeiros problemas de saúde começam a dar sinal. Você sente que passou da hora de buscar hábitos mais saudáveis e começar a praticar uma atividade física.

Então vem a pergunta: qual atividade escolher?

A primeira opção é buscarmos aquela que nos pareça mais agradável e surge o primeiro choque de realidade. Qualquer atividade se tornou árdua e sofrida. Não é por acaso. Agora seu corpo se acostumou a um estilo de vida confortável e ele vai lutar contra qualquer mudança. Surgem as dores, o mal-estar, e depois de poucas semanas você começa a flertar com a ideia de abandonar. As desculpas já estão até prontas: falta de tempo, de dinheiro (ah, a crise…), compromissos no trabalho, cansaço, vergonha do próprio corpo etc. Pesquisas recentes mostram que mais da metade dos alunos que se matriculam em academias desistem nos primeiros 45 dias. A estimativa é da Associação Brasileira de Academias (Acad).

O que fazer então? Aqui vão algumas dicas para facilitar essa adaptação:

- Comece eliminando essas desculpas. Por mais difícil que possa parecer, uma coisa é certa: você terá que sair da sua zona de conforto. O nosso corpo tem uma capacidade incrível de se adaptar, mas tudo vai depender da sua persistência;

- Fixe uma meta realista, que possa ser alcançada em um prazo mais curto. Conforme for atingindo essas metas, defina outras mais difíceis. Entenda que os resultados aparecem de forma lenta e gradual;

- Vá com calma, respeite os limites do seu corpo. Desconforto muscular é comum nessa fase, mas dores indicam que você passou do ponto;

- Encare o treino como uma necessidade, não como um prazer. Você não vai ao médico ou dentista porque gosta e sim porque precisa, certo?;

- Disciplina é fundamental. Só falte aos treinos se for extremamente necessário. Leva um tempo para nosso corpo se acostumar com essa nova rotina e cada vez que você falta está dando um passo para trás;

- Aos poucos, vá introduzindo hábitos mais saudáveis no seu cotidiano. Coma melhor, durma melhor, busque contato com a natureza. Tudo faz parte de um conjunto e as mudanças virão mais rápidas se aliadas com mudanças de atitude.

E aí? Pronto para tentar? No final das contas, só depende de você.

Prof. Demétrio Ferrari, bacharel em ed. física, pós-graduado em treinamento desportivo, especialista em treinamento funcional e personal trainer desde 2005. Semanalmente esse espaço trará artigos com dicas sobre saúde e treinamento.

11/04/2016

ANSIEDADE PRÉ VIAGEM – COMO CONTROLAR?

Quem nunca ficou ansiosa antes de viajar que atire a primeira pedra...

por Bruna Villegas, 11/04/2016

Aquela viagem que você fechou há um tempo está chegando e o sono começou a ficar inquieto…

Ferrou! Sinal de que a ansiedade chegou junto!

Uma mistura de adrenalina, emoção, preocupação, torcida pra tudo dar certo, medo de pegar um gripe, de esquecer algum documento importante, x, y, z e o alfabeto inteiro na sua cabeça quando encosta no travesseiro… Não tem yôga que ajude!

Você começa a viajar antes mesmo do dia, fantasia as fotos que vão sair, os lugares que irá visitar, as pessoas que irá conhecer, e isso tudo vira uma bola de neve dentro da cabeça.

Quero saber quem é o ser humano que lida com aqueeeela viagem especial de forma fria, por favor, se manifeste e conte o segredo pra gente!

Vou passar algumas maneiras que me ajudam a controlar essa ansiedade nesse momento, e claro, se você puder acrescentar itens nessa lista, vai ser ótimo pra nossa comunidade dos ansiosos viajantes de plantão!

1 – Curta a PRÉ VIAGEM sem esquecer do momento PRESENTE

O próprio nome já diz PRESENTE é o nosso dia HOJE, é ele que temos que vivenciar e aproveitar, tente se concentrar no que precisa ser feito AGORA;

2 – Faça um Check List

Faça uma lista com TUDO que você precisa levar, TUDO mesmo, desde a documentação até o fone de ouvido, isso vai te ajudar a não ficar pensando se está esquecendo algo importante. Confira item a item antes de fechar a mala. Para se organizar melhor, separe a lista por ítens, por exemplo:

Documentação: Passagem, passaporte, RG, CPF, visto…

Mala de mão: Celular, carteira, dinheiro, câmera, notebook, ipad…

Acessórios: Prancha de surf, skate, travesseiro…

Banheiro: Shampoo/ condicionador, sabonete, barbeador, pasta de dente, escova de dente, escova de cabelo, toalha…

Roupas: Saia, Blusa, jaqueta de frio, casaco, cachecol, biquini, meias, cuecas, calcinhas, vestidos…

Calçados: chinelo, sapato, sapatilha, tênis…

Farmácia: Buscopan, omeprazol, dipirona, neosaldina, cataflan…

3 – Produza

Tente trabalhar mais, treinar mais, ocupar mais a cabeça… Vai te ajudar a viver mais o aqui e agora;

4 – Faça todas as reservas o quanto antes

Não deixe nada para a última hora, já reserve seu hotel, carro, guia, passeios… Assim você viaja tranquilo e fica tranquilo sabendo que tudo está no esquema;

5 – Monte um roteiro

Além de fazer com que você curta a sua pré viagem, um roteiro vai te ajudar a curtir cada momento durante a trip, pois vai evitar que você faça pesquisas na hora e perca tempo para saber o que quer fazer;

O dia que anteceder a viagem, faça uma prática tranquila, como o yôga por exemplo, medite, assista a filmes tranquilos ou leia um bom livro, coma comidas mais leves, tome um chá de camomila, RESPIRE muito, tente se concentrar nisso para que sua noite de sono seja tranquila, seja na sua cama, ou já no avião, carro, moto, trem… RELAXE!

E MUUUUITO BOA VIAGEM!

Não esquece de compartilhar as fotos da trip através da tag #vestindoaalma

Bruna Villegas, 30 anos, Publicitária, CEO e Fundadora do Vestindo a Alma, Editora Chefe da Almasurf, Escritora, Sonhadora, Aprendiz de Surfista, Vegetariana, Apaixonada pelo Mar…

08/04/2016

BIQUÍNIS: POR QUE AMAMOS E DESDE QUANDO AMAMOS!

A história dos biquínis

por Seasiders Crew, 08/04/2016

Não consigo lembrar desde quando os biquínis são as peças mais amadas do meu guarda-roupa. Amamos porque nos remete a praia e amamos porque é confortável e liberta o corpo. Mas quando surgiu essa dupla praiana, a aceitação não foi tão grande quanto a sua polêmica. Essa peça (que na verdade são duas) sempre viveu de ambigüidades, a começar por seu criadores, que são dois que criaram e apareceram com a mesma invenção mais ou menos na mesma época. Ambos franceses. Louis Réard e Jacques Heim. Também começou a ser usado em ano par, no verão de Paris em 1946. Réard teve sua criação chamada de bikini, que também era o nome de um atol no Oceano Pacífico em que os americanos realizavam testes atômicos, tamanho o bafafá que criou-se em torno do traje, quando surgiu. Já os biquínis de Jacques eram chamados de atome, que significa átomo em francês, fazendo referencia ao seu pequeno tamanho.

No meio de toda essa polêmica, nenhuma modelo se dispôs a desfilar os biquínis de Réard para seu lançamento, até que uma mocinha aparecida e doida para se promover chamada Micheline Bernardini, se propor a lançar as criações. Eis que a tal entrou para História da criação do biquíni. No centro dos holofotes da Moda da década de 40, entre os que amaram e odiaram, veio a opinião da expert Diana Vreeland, que foi uma das grandes editoras de moda da época, tendo passado por revistas como Harper’s Bazaar e Vogue: “Maior invenção desde a bomba atômica”.

Daí em diante, virou tendência nos verões europeus. Já nos Estados Unidos a moda só foi aceita em 1965. Hoje quando se pensa em biquínis automaticamente se pensa nos de design brasileiro, os mais desejados pelo mundo, porém poucos imaginam que o biquíni, a princípio, foi muito mal aceito no Brasil, que só aderiu seu uso mais de uma década depois de sua criação. Ainda na década de 50, há muitas pessoas que alegam que uma moça que foi de biquíni à praia de Copacabana foi expulsa de lá com homens e mulheres jogando areia nela. Ou seja, aqui ainda era uma vergonha usar tal peça, tamanho o preconceito da população com o tamaninho do biquíni.

Ainda nos anos 70, teve polêmica quando a, então grávida, Leila Diniz, exibiu seu barrigão usando biquíni nas areias de Ipanema, por não ser uma coisa comum as grávidas saírem por aí mostrando a barriga. Porém nessa década a peça já tinha aceitação nacional.

Passado os tempos de polêmica, de umas décadas pra cá, o Brasil se tornou potência em biquíni, tendo criações dos mais diversos modelos para a categoria, como: fio-dental, asa-delta, cortininha, suquini, etc.

Hoje, somos conhecidos por nossa Moda Praia, tendo diversos nomes de sucesso, como Blue Man, David Azulay, Zilda Costa, Gaúcha, Tânia Slaib, Jaqueline de Biase (Salinas), Lenny Niemeyer, Amir Slama e Cia Maritima.

Mas além dessas labels de sucesso internacional, também tem as novatas do cenário nacional. Como a Seasiders, que aposta em modelagens jovens e confortáveis e estampas alegres e cheias de história.

 

Motivadas pelo desejo de trazer a praia para o cotidiano urbano, Camila Tobal e Juliana Vallada, criaram a Seasiders.

A dupla de designers de estampas usam sua marca de beachwear para contar histórias de viagens pelo mundo e amor a natureza através de estampas autorais e coleções reflexivas. Para as Seasiders, amar a praia vai além de estar nela. É vesti-la todo dia e transmitir essa vibe por toda parte.

04/03/2016

SUPLEMENTAÇÃO ALIMENTAR NO SURF. É NECESSÁRIO?

Saiba tudo sobre suplementação em esportes de grande impacto

por Bruna Villegas, 04/03/2016

A alimentação do surfista deve ser saudável e sempre corresponder a sua necessidade individual diária. Através de uma alimentação balanceada o surfista preservará sua composição corporal, aumentando sua resistência ao treino, retardando o cansaço e o mais importante promovendo a melhora de seu desempenho.

O surf e outros esportes aquáticos exigem necessidades nutricionais aumentadas, devido o valor do gasto energético que o corpo utiliza para a sustentação e locomoção do próprio corpo, além da manutenção da temperatura corporal e equilíbrio em águas agitadas. Para ter um melhor rendimento físico é necessário ingerir os nutrientes necessários, assim poderá aumentar seu sistema imunológico, seus níveis de energia, sua potência muscular, sua concentração e reduzir gorduras de maneira saudável.

Os suplementos alimentares são alimentos elaborados para suprir as necessidades de nutrientes para a prática de atividade física, como também para complementar dietas alimentares inadequadas e para aumentar o rendimento num determinado esporte.

Tanto no surfe como em qualquer esporte é importante manter uma alimentação rica em carboidratos, pois eles são os combustíveis perfeitos para nosso corpo. Os carboidratos fornecerão energia para que o surfista possa ter um bom desempenho e aguente mais tempo dentro d’água. Às vezes não conseguimos a quantidade suficiente de carboidratos nos alimentos, por isso é importante recorrermos à suplementação. Nada mais prático para um surfista do que um energético em gel, pois estes são leves, de fácil transporte e podem ser levados para a areia e consumidos antes de entrar na água. Os energéticos em gel são de rápida e fácil digestão, são ideais para aquelas horas em que não há tempo para comer.

Esportistas precisam de mais vitaminas e minerais do que pessoas sedentárias. O corpo necessita de vitaminas e minerais para praticamente todos os movimentos básicos. Os multivitamínicos fornecem energia para os músculos trabalhados e auxiliam na recuperação muscular. Sem as vitaminas e minerais adequados, essas funções básicas do corpo não encontram espaço para agir.

Os suplementos proteicos, como whey protein é rapidamente absorvido pelo organismo e é uma proteína completa, de altíssima qualidade, com altas concentrações de todos os aminoácidos essenciais. Além de ser importante como um reparador dos danos dos tecidos musculares, o whey é bastante eficiente na redução da gordura corporal. Ele fornece energia aos músculos trabalhados durante o surfe. Por ser de rápida absorção quando usado depois de pegar onda, o whey vai rapidamente para o músculo, sendo excelente para a recuperação muscular.

O primeiro passo para quem quer suplementar é procurar um nutricionista. Com certeza ele solicitará uma série de exames clínicos e laboratoriais.

Após os resultados dos exames ele fará um questionário generalizado dos seus hábitos alimentares, calculará o seu gasto de energia diária, medira o seu percentual de gordura no corpo e o percentual de massa magra. A partir daí ele prescreverá os suplementos dentro das suas necessidades energéticas. Não faça uso de suplementos sem orientação.

Nutricionista Carina Melo

Contato: 11 98512-7097/ 3876-4440

Veja mais desses e outros assuntos em: Vestindo a Alma

18/02/2016

AH! ELE É SURFISTA!

Um dia no outside, eu observei alguns surfistas de alma, que me inspirou esse texto...

por Bruna Villegas, 18/02/2016

Ombros largos, pele bronzeada, cabelos bagunçados… só observo ele focado enquanto espera a série, nem pisca porque está concentrado e quer pegar a melhor onda do dia…

Eu continuo observando, e de repente ele começa a remar, enxerga uma ondulação lá atrás antes de qualquer um e sabe que vai ser dele!

Então, ele dropa a onda e eu acompanho cada movimento, uma batida, uma rasgada, um cut back e finaliza com uma tentativa de aéreo… AH! ELE É SURFISTA!

Meus olhos brilham e eu fico arrepiada!

Que loucura é essa?

Sei lá… simplesmente acho o surfista um ser diferenciado… eles tem uma inteligência bizarra… ele sabe ler ondas, ele entende de vento, qual o melhor tipo de ondulação para cada praia e quando vai ser o melhor dia…

Ele respeita e ama a natureza, cuida e protege!

Ele é solitário e completo ao mesmo tempo, ele não precisa de muito, só das ondas…e isso basta, é o que ele precisa pra manter aquele sorriso de criança!

Só ele sabe e conhece a sensação de pegar uma onda boa, e só ele consegue entender (nunca explicar) o que é um dia sem ondas…

Ele vai sofrer bastante acordando as 7h da manhã para uma reunião de trabalho, mas vai acordar amarradão as 4h30 pra fazer um bate volta!

Ele é chato! Seu assunto principal é a surf trip que ele fez pra Costa Rica, El Salvador, Peru, Nias, Hawaii, Puerto Escondido, entre outros… você talvez se canse de assistir a todos os 648364890 filmes de surf que ele sempre vai querer ver…

E te alerto: no começo você vai se encantar com todas as histórias que ele vai contar por ver os seus olhinhos brilhando, mas se você não conhecer essa sensação, talvez um dia você se canse disso tudo…

Maaas, se você estiver lá no outside também, talvez você seja ainda mais chata e mais fissurada e consiga entender o que é esse sentimento!

AH! ELES SÃO SURFISTAS! S2

 

"Bruna Villegas, 30 anos, Publicitária, CEO e Fundadora do Vestindo a Alma, Editora Chefe da Almasurf, Escritora, Sonhadora, Aprendiz de Surfista, Vegetariana, Apaixonada pelo Mar…"

1
2