Tragédia da skatista Giselle

Giselle Alves, ou Gisa como era conhecida no meio do skate, foi brutalmente assassinada na madrugada de 30/12/2015 em pleno Centro Histórico de Paraty (RJ).

por Fabiola Willsher, 24/01/2017

As primeiras noticias apenas citavam que ela teria sido morta com pancadas na cabeça, mas a realidade é muito mais dura. Gisa foi violentada sexualmente de maneira perversa, arrastada pelas ruas de pedra da cidade, um chumaço de cabelo foi encontrado pelo caminho, e as pancadas que citam, bom… desfiguraram seu rosto, segundo a policia, causada por objeto cortante, uma marreta ou talvez ela tenha sido apedrejada.

Gisa era fantástica, por onde passou (e foram muitos lugares) conquistou amigos, muitos que se consideram irmãos, fanática por “patinar”, me lembro de quando começou a praticar skate, por volta de 2005, no próprio MACBA, as marcas roxas em suas pernas, os tombos, os quase atropelamentos pelas ruas de Barcelona, os shapes partidos ao meio, ela nunca desistiu.

Cheia de luz, muito espiritualizada, procurando evoluir, o perdão em pessoa. Na mochila da Gisa nunca faltou um livro e sua câmera fotográfica, ela adorava eternizar cada passo de sua caminhada. A irmandade da Gisa só fez crescer, ela não tinha parada ou dia ruim.

Final de 2014 ela disse “Hasta Pronto” a Barcelona e voltou para SP, rever família, andar de skate pelas ruas da cidade onde cresceu, fazer mais amigos.

Foi ao Rio, conheceu alguns dos skateparks da cidade maravilhosa, e caiu para Paraty. Apaixonou-se pela cidade e decidiu ficar. Não existia um skatepark na cidade até então. A notícia da construção da primeira pista a deixou feliz e decidiu ficar mais uns meses até a inauguração.

A pista foi inaugurada formalmente no dia 18/01, Gisa não apareceu. Por sorte ela não esperou as formalidades, se divertiu na pista assim que a obra terminou.

São 14 dias do crime e até agora, pouco se sabe. As investigações não andaram, apenas após a criação da pagina do Facebook [ Justiça por Giselle Alves ] no dia 11/01 é que a imprensa se inteirou do que realmente aconteceu, e foi quando noticias mais completas começaram a aparecer.

Familiares de Giselle estiveram em Paraty essa semana. Na segunda-feira o delegado não pôde atender e lhes foi negada qualquer informação. Terça-feira souberam que nem laudo do IML, nem checagem das imagens de câmeras de segurança das ruas, nem o telefone verificado… nada havia sido feito, ficou uma promessa: começaremos hoje, segundo a policia.

Precisamos de apoio, sem pressão popular as investigações não vão andar, precisamos que curtam e compartilhem a página do Facebook e esta matéria. Quanto mais likes, mais chances temos de que a imprensa siga interessada, que a policia sinta-se “estimulada” a fazer seu trabalho e com um pouco de sorte, conseguiremos ao menos Justiça por Gisa.

Tenho certeza que ela esta em paz… descansando não digo, porque descansar não combinava com ela.

Confira a matéria [ HOMENAGEM À GISELLE ALVES ]

Acompanhe nosso Instagram: @campeonatosdeskate

#JustiçaPorGisa

Fonte Campeonatos de Skate

SHARE:
  • almasurf
    Surfing, fim de uma era.
  • almasurf
    Tragédia da skatista Giselle
  • almasurf
    Pioneiros recebem homenagem
  • almasurf
    Revelação de Matinhos
  • almasurf
    Dia do Surfista
  • almasurf
    Italo Grom Stomp
  • almasurf
    De Passagem com Century Swell
  • almasurf
    Na casa do Bob
  • almasurf
    Altair Freitas, surf vetorial
  • almasurf
    BBQ Only Girls Nicaragua
  • almasurf
    White and Ruddy
  • almasurf
    O_Gosh Photography
  • almasurf
    Turkish adianta o lado
  • almasurf
    Documentário Peixe Morto
  • almasurf
    Filipe voa com Twin Fins